Manfrotto ™
A Vitec Group brand

Privacidades

Informações Pessoais

Protecção de Dados Pessoais - Lei n.196/2003 - Informações para indivíduos e empresas

Os objetivos desta lei são para proteger informações pessoais (nome, endereço, etc), que proíbe o uso incorreto ou ilegal da informação acima mencionada e imponente para verificar a exactidão e integridade dos dados, a fim de evitar qualquer dano, mesmo na ponto de vista de imag

Todos os proprietários do tratamento de informações pessoais ou / e todas as pessoas responsáveis ​​que poderiam aceder aos arquivos de informações pessoais para quaisquer razões de trabalho deve prestar maior atenção no tratamento dos dados. Eles não devem popularizar (tornar conhecido ou publicar) qualquer informação, exceto quando acordado com a Direção e / ou com a pessoa envolvida e nos casos autorizados.

A pessoa envolvida pode exercer todos os direitos, como para a arte. 7 do lgs. Decreto n. 196/2003 (entre eles, os direitos de acesso, rectificação, actualização, opondo-se ao tratamento e cancelar os dados), enviando o seu pedido para o endereço: privacy@manfrotto.com

Cliente e Fornecedor

Protecção de Dados Pessoais - Lei n.196/2003 - Informações para clientes e fornecedores

Os dados pessoais recolhidos pelo controlador Lino Manfrotto + Co. Spa, são processadas em meio impresso, informática e telemática forma para o desempenho das obrigações contratuais e legais, bem como para a entrega efetiva das relações comerciais, também para uso futuro.

A não-apresentação de dados, em que não é obrigatório, serão avaliados ao longo do tempo pelo controlador e as decisões resultantes a serem feitas terão em conta a importância dos dados requied no que respeita à gestão relação comercial.

Os dados podem ser reveladas, estritamente de acordo com os fins acima mencionados, e, consequentemente, processado, apenas em relação ao objectivo disse, pelos sujeitos outros :
- Group’s companies (www.vitecgroup.com/group/photographic.aspx)
- nossa organização agentes
- empresas de factoring
- bancos
- recuperação de empresas de crédito
- companhia de seguros de crédito
- informação sociedades comerciais
- profissional e consultores
- empresas de estatística

Em relação aos mesmos fins, os dados podem ser tratados por classes de executores.

Os dados recolhidos serão tratados para a duração de obrigações contratuais e legal, bem como para o tratamento eficaz das relações de negócios, também para uso futuro.

Os titulares dos dados pode exercer todos os direitos estabelecidos no artigo 7 º da Ln196/2003 (incluindo os direitos de acesso a dados, atualizar objetos para processamento de dados e cancelamento).

O processador é Vitec Group Italia Spa.

Garantia & Fale Conosco

Protecção de Dados Pessoais - Lei n. 196/2003

Os dados pessoais recolhidos pelo controlador Lino Manfrotto + Co. Spa, são processadas em formato impresso, informática e telemática forma para a transmissão eficaz das relações comerciais, também para uso futuro.

Os dados podem ser reveladas, estritamente de acordo com os fins acima mencionados, e, consequentemente, processado, apenas em relação ao objectivo disse, pelos sujeitos outros:
- Empresas do Grupo(www.vitecgroup.com/group/photographic.aspx)
- nossa organização agentes
- nossos distribuidores

Em relação aos mesmos fins, os dados podem ser tratados por classes de executores.

Os titulares dos dados pode exercer todos os direitos estabelecidos no artigo 7 º da Ln196/2003 (incluindo os direitos de acesso a dados, atualizar objetos para processamento de dados e cancelamento).

O processador é Vitecgroup Italia spa. Lembre-se que, de acordo com o Código de Privacidade sob LD 196/2003, você pode se opor em qualquer momento para o processamento de dados acima mencionados, enviando um e-mail para o seguinte endereço: privacy@manfrotto.com

 

  Direitos Pessoais

Seção 7: Direito de acesso aos dados pessoais e outros direitos

1. A pessoa em causa tem o direito de obter a confirmação de terem ou não dados pessoais que lhe dizem respeito existe, independentemente de terem sido já registados, e comunicação de tais dados de forma inteligível.

2. Um objecto de dados tem o direito de ser informado a), da fonte dos dados pessoais; b) das finalidades e métodos do processamento; c) da lógica aplicada ao tratamento, se este último é realizada com a ajuda de meios electrónicos; d) dos dados de identificação do titular, processadores de dados e do representante designado, conforme a Seção 5 (2), e) das entidades ou categorias de entidades a quem ou a que os dados pessoais podem ser comunicados e quem ou o que pode ficar a conhecer tais dados na sua qualidade de representante designado (s) no território do Estado, os dados do processador (s) ou pessoa (s) responsável pelo processamento.

3. A pessoa em causa tem o direito de obter uma atualização), retificação ou, se interessado nele, a integração dos dados; b) eliminação, anonimização ou bloqueio dos dados que foram processados ​​ilegalmente, incluindo os dados cuja manutenção é necessária para os fins para os que foram recolhidos ou posteriormente tratados; c) certificação de que as operações como letras a) eb) têm sido notificados, como também relacionado ao seu conteúdo, para as entidades a quem ou a qual os dados foram comunicados ou difundidos , a menos que tal exigência se revelar impossível ou implicar um esforço manifestamente desproporcionado em comparação com o direito que deve ser protegido.

4. A pessoa em causa tem o direito de objeto, no todo ou em parte, a) por motivos legítimos, ao tratamento de dados pessoais relativos a ele / ela, mesmo que sejam relevantes para efeitos da recolha; b) ao tratamento de dados pessoais relativos a ele / ela, onde é realizado para fins de envio de material publicitário ou de venda directa, ou então para o desempenho de mercado ou de comunicações comerciais.

Seção 8: Exercício dos Direitos

1. Os direitos referidos na Secção 7 pode ser exercido por fazer uma solicitação para o tratamento de dados ou processador sem formalidades, também pela ação de uma pessoa encarregada do processamento. A resposta adequada deve ser fornecida ao referido pedido sem demora.

2. Os direitos referidos no ponto 7 não pode ser exercido por fazer uma solicitação para o tratamento de dados ou processador, ou então mediante apresentação de uma queixa nos termos do Artigo 145, se os dados pessoais são tratados:
a) nos termos do disposto no Decreto-Lei n. 143 de 03 de maio de 1991, convertido, com alterações, na Lei n. 197, de 05 de julho de 1991 e posteriormente alterada, relativa ao branqueamento de capitais;
b) nos termos do disposto no Decreto-Lei n. 419, de 31 de dezembro de 1991, convertido, com alterações, na Lei n. 172, de 18 de Fevereiro de 1992 e posteriormente alterada, relativa ao apoio às vítimas de extorsão;
c) pelas comissões parlamentares de inquérito criada na forma do artigo 82 da Constituição;
d) por um organismo público que não seja com fins lucrativos organismo público, se isso for expressamente exigido por lei para fins exclusivamente relacionados com a moeda e política financeira, o sistema de pagamentos, controle de corretores e de crédito e os mercados financeiros e proteção de sua estabilidade;
e) nos termos da secção 24 (1), letra f), no que respeita ao período durante o qual o desempenho das investigações por conselho de defesa ou o estabelecimento do processo judicial pode ser realmente e concretamente prejudicado;
f) por prestadores de serviços públicos de comunicações electrónicas no que respeita às chamadas telefônicas recebidas, a menos que isso possa ser verdade e concretamente prejudicial para o desempenho das investigações pelo advogado de defesa como a Lei por nenhuma. 397, de 7 de Dezembro de 2000;
g) por razões de justiça por parte das autoridades judiciais em todos os níveis e de todas as instâncias, bem como pelo Conselho Superior da Magistratura ou outros organismos auto-reguladores, ou então pelo Ministério da Justiça;
h) nos termos da secção 53, sem prejuízo da Lei n. 121 de 1 de Abril de 1981.

3. Nos casos referidos no n º 2, alíneas a), b), d), e) ef), do Garante, também na sequência de um relatório apresentado pelo titular dos dados, deve atuar como Seções 157, 158 e 159, em nos casos previstos nas letras c), g) eh) do referido parágrafo, o Garante deve agir de acordo com a Seção 160.

4. Exercício dos direitos referidos no ponto 7 pode ser permitido com relação aos dados de não-objetiva de caráter, desde que não digam respeito rectificação ou adições de dados pessoais no contexto de avaliação com julgamentos, opiniões e outros tipos de avaliação subjetiva, ou mais a especificação de políticas a serem implementadas ou de tomada de decisão atividades pelo controlador dos dados.

Related link: Italian Privacy Official Site